26 de maio de 2005

AMÈRICO *** Palavras São Caminhos ...***

Palavras São Caminhos...

São a voz da alma
liberta ou inquieta ,
São a imagem do sonho exótico
impossível ou louco....
São mares e são rios,
São remos e faróis.
São noites que não acabam
recordações que não morrem
São luzes que se acendem,
São luzes que se apagam


Palavras são sons..

De portas que se fecham
De lágrimas silenciosas
De angustias escondidas
De gritos de alegria...
De gritos de revolta
De noites por dormir,
De madrugadas esperando o sol
De vozes que se foram
De vozes que chegaram

Palavras são imagens...

De searas ondulantes
De abraços por sentir...
De fogueiras a arder..
De rios por navegar...
De florestas por descobrir
De sentimentos por desvendar
De medos por destruir...
De segredos por dividir...

Palavras são encontros...

Num cais desconhecido
Numa praia misteriosa
Numa montanha deserta
Numa cidade cinzenta
Num deserto sem areia
Numa rua sem ninguém
Num vulcão adormecido
Numa estrada sem destino...

Palavras são destinos...

Que se encontram
Porque existem...
Porque se procuram
Porque se necessitam
São beijos desejados
Ânsias incontroladas.
São saudade...são amor..
São descobertas...
São VIDA



Américo

1 de maio de 2005

Lúcio Neves Poema de Amor

Ah visão imaculada
Que me surges por entre os lençóis
E me deleitas o olhar,
Me pões aos teus pés
No chão a suplicar.
És manhã fria de gelar
Final e todas as orações
Água de todas as monções.
Afoga-me no teu bolinar
Pede-me mais em suplicio
Faz-me gemer e gritar
Oh anjo!
Que de mil penas
Nenhuma pena tens de mim
Tu que te sentas no trono de marfim
Rainha de toda a minha razão...
Regente deste sangrento coração.
És vida!
E que de tanto amor te dar
Minha alma anda perdida!!!


Lúcio Neves