22 de setembro de 2005

Nilzeth Alcântara ** EXISTE **





Este Poema " EXISTE " da minha querida amiga NILZETH, teve o mérito de eleger o ALMA DE POETA como um "Blog Destaque" no DOCE VENENO.
Obrigada amiga, só um coração apaixonado como o teu, seria capaz transmitir tanto sentimento nas palavras, merecedoras de tamanho reconhecimento.


EXISTE

Existe pessoa que cheira amor
Que trás vontade de Paixão;
Existe amor que cheira vida,
E vida que anda na contra-mão.

Existe pessoa que cheira saudade,
Trazendo a vontade de nunca esquecer...
Existe saudade que dói na lembrança;
E trás a certeza de nunca morrer.

Existe morte que ocorre em vida;
Por não cicatrizar a ferida aberta na emoção...
Mas, existe emoção que se faz viva;
Que envolve e acalenta o choro do coração.

Existe coração que sofre
Mesmo sem saber por quê
E segue buscando em cada face
A falta que sente de você.

Existe tudo e todos
De forma que não sei dizer;
E nesta agonia eu sigo triste
Sem rumo e sem amanhecer.

Existe amanhecer sem luz,
Existe noite sem luar
Existe treva e escuridão
Existem sonhos sem se concretizar.

Só porque Existem!


Nilzeth, 16/09/2005

18 de setembro de 2005

Eugénio Neves " AFASTAMENTO "

Terá sido assim mesmo em meus sonhos...
Essa foto espelha bem o que me vai no pensamento.
Ao ver-te de costas voltadas, percorri o único caminho que meu coração conhecia...




AFASTAMENTO

Amar-te?
Sei que te amei,
Compreender-te?
Não consegui.
O desejo maior que a vontade
Ficou a enorme saudade
Na hora que te perdi,


Voltas agora ao mesmo lugar
Onde meu coração chora de dor,
Reflectes entre o partir e ficar...
Será que te vais entregar,
Alimentando nosso amor?


Eugénio Neves

16 de setembro de 2005

DEIXOU A SUA INSPIRAÇÃO A " ANA TERESA CRUZ VALENTE "

Lindo e inspirado poema recebido da Ana Teresa , amiga do blog
  • Teresoca à Descoberta do Novo Mundo Tecnológico
    .....A net tem destas coisas, presentear-nos com o carinho e amizade de pessoas tão distântes e no entanto tão presentes.
    Beijo com carinho , amiguinha.



    À DESCOBERTA DO AMOR ...


    Não, não foi à beira mar que te descobri,
    Mas foi lá que senti pela primeira vez.
    O toque quente das tuas mãos no meu corpo,
    Foi lá que pela primeira vez sentimos
    Que algo de estranho se passava connosco!
    Amor?
    Não. Nunca poderá haver amor entre nós!
    Porquê? Perguntaste-me!
    Porque a terra nos separa
    E, a água não tem força para nos unir!

    E agora perguntas tu? Que fazemos nós?
    Conformamo-nos com a terra?
    Ou damos força ao mar?
    Não sei! Tenho medo de navegar,
    Mas desejo cavalgar!
    E por isso não será nem a terra, nem o mar,
    Que me fará esquecer o que passámos,
    Mas será o tempo que decidirá
    Se é Amor ou se é apenas Saudade!


    Ana Teresa Cruz Valente
  • 14 de setembro de 2005

    DEIXOU A SUA INSPIRAÇÃO A "ALEX "


    Agradeço à Alex do Blog
  • PALAVRAS DISPERSAS,PORQUE A VIDA TEM COR
    o inspirado texto que me presenteou, conforme pedido no post anterior.

    Beijo para ti

    ***********************************




    No momento em que pisei a areia soube que iria reconhecer-te.

    Estavas sentado à beira mar e olhavas o mar como quem procura a paz, uma tranquilidade já há muito merecida.
    Naquela manhã o céu enublado fez do mar o nosso mundo.

    Olhar-te nos olhos.
    Ver-te pela primeira vez.
    Olhaste-me também e bastou um segundo,
    Entenderes por fim as palavras que te deixei.
    As que nem sequer te escrevi.
    Ninguém me fez sorrir assim
    Percebes agora a necessidade que tenho de ti?

    Parámos o tempo o quanto pudémos.
    Prolongámos um sentir, um desejo de mutuo conhecimento.
    Por favor, não me tires este momento.
    Ficámos retidos, num silêncio perfeito.
    Ficámos horas juntos nessa manhã.
    Meu Deus, eu já sabia que iria ser assim.

    Levantei-me e segurei os passos ainda inseguros.
    Saí da praia com a certeza que não voltaria a sentir-te assim.
    De costas voltadas,
    o vento no rosto.
    Alguma vez amaste alguém assim?


  • 5 de setembro de 2005

    Eugénio Neves * TEU NOME *

    Sempre que digo o teu nome
    Sempre que chamo por ti
    Sinto sede, sinto fome
    De viver só para ti .
    Há doçura em minha voz
    Há ternura em teu olhar ,
    E quando tu não respondes
    No que me escondes
    Fico a pensar .


    O teu nome
    É todo poesia
    E tem em si o amor
    A tristeza e a alegria
    Tem cheirinho a maresia
    Simples como um malmequer
    Tem da nascente a frescura
    E também tem a ternura
    De ser nome de mulher


    Quando digo o teu nome
    Sempre que chamo por ti
    Eu quero juntá-lo ao meu
    E viver só para ti
    Sempre, sempre que te chamo
    Teu nome vira canção
    Se respondes num olhar
    Fica a cantar meu coração!!!


    Eugénio Neves
    O TEU NOME




    Sempre que digo o teu nome

    Sempre que chamo por ti

    Sinto sede, sinto fome

    De viver só para ti .

    Há doçura em minha voz

    Há ternura em teu olhar ,

    E quando tu não respondes

    No que me escondes

    Fico a pensar .



    O teu nome

    É todo poesia

    E tem em si o amor

    A tristeza e a alegria

    Tem cheirinho a maresia

    Simples como um malmequer

    Tem da nascente a frescura

    E também tem a ternura

    De ser nome de mulher



    Quando digo o teu nome

    Sempre que chamo por ti

    Eu quero juntá-lo ao meu

    E viver só para ti

    Sempre, sempre que te chamo

    Teu nome vira canção

    Se respondes num olhar

    Fica a cantar meu coração!!!



    Eugenio