26 de agosto de 2006

O MUNDO QUE EU CRIEI de José Maria Lopes de Araújo





















Deram-me a vida,
Lançaram-me ao mundo,
Um mundo de quimera,
Um mundo que não me pertence,
Onde o cinismo impera
E a mentira vence ! …

Por isso, criei
Um mundo diferente
Deste outro mundo em que vivo:
Sem ódios, sem maldade,
Sem grilhetas de sofrimento
E sem o vento
Da impiedade !


Tenho caminhos
Floridos, perfumados
De amores, de carinhos,
De venturas e saudades …


E mais claro o sol que me alumia,
Sol que irradia
A luz do amor …
São curtos os meus horizontes …
Naufragou a minha dor …


Tenho noites de luar…
E canta o mar,
E cantam as fontes,
Quando me ouvem cantar !


…………………………….


No mundo que eu criei,
Para viver sonhando,
Há belezas irreais…
Ilusões e esperança …
… E eu só quero e vivo amando
Velhos e crianças,
Flores e animais ! …
…………………………..

O mundo que eu criei
É um mundo diferente :
Sem ódios, sem maldade,
Sem grilhetas de sofrimento,
Sem a noite de tormento,
E sem o vento
Da impiedade ! …


José Maria Lopes de Araújo

do livro # CINZAS QUENTES #

21 de agosto de 2006

Cecilia Meireles " JARDIM COM FLORES "


Quem me compra um jardim
com flores?
borboletas de muitas cores,
lavadeiras e passarinhos,
ovos verdes e azuis nos ninhos?
Quem me compra este caracol?
Quem me compra um raio de sol?
Um lagarto entre o muro a hera,
Uma estátua da Primavera?
Quem me compra este formigueiro?
E este sapo, que é jardineiro?
E a cigarra e a sua canção?

E o grilinho dentro do chão?

(Este é o meu leilão!)



[Cecília Meireles in Leilão de Jardim]