28 de abril de 2012

A Simplicidade de Existir...Herman Hesse














Quanto mais envelhecia, quanto mais insípidas me pareciam as pequenas satisfações que a vida me dava, tanto mais claramente compreendia onde eu deveria procurar a fonte das alegrias da vida. Aprendi que ser amado não é nada, enquanto amar é tudo (...).

O dinheiro não era nada, o poder não era nada. Vi tanta gente que tinha dinheiro e poder, e mesmo assim era infeliz.

A beleza não era nada. Vi homens e mulheres belos, infelizes, apesar de sua beleza.

Também a saúde não contava tanto assim. Cada um tem a saúde que sente.

Havia doentes cheios de vontade de viver e havia sadios que definhavam angustiados pelo medo de sofrer.


A felicidade é amor, só isto.
Feliz é quem sabe amar. 

Feliz é quem pode amar muito.
Mas amar e desejar não é a mesma coisa.
O amor é o desejo que atingiu a sabedoria.
O amor não quer possuir.
O amor quer somente amar.


Herman Hesse

25 de abril de 2012

Examina a Tua Consciência...... Isabel Cabral


Por vezes, somos tão indiferentes ao sofrimento alheio. Fingimos que não vemos, que não é nada connosco. Acontece que por vezes, a dor também nos bate à porta, essa mesma dor, igual àquela que optámos por disfarçar não ter visto, mesmo ali ao lado, no nosso amigo, nosso irmão, nosso conhecido.
 Nessa altura, o que esperamos receber?
É dando que se recebe.
HUMANIDADE, deve existir em cada um de nós, seres racionais, diferente dos animais, mas quantas vezes bem piores.
Quando eu pedir, numa palavra, num gesto ou olhar, que me apoies, espero que entendas, porque esse gesto, palavra ou olhar, pode ser o espelho onde verás o teu próprio reflexo, qualquer dia.
Quem não tem para dar, uma palavra, um sorriso ou afecto, é tão ou mais pobre do que um mendigo.
O teu umbigo não é certamente, o centro do universo.
Examina a  tua consciência.

Isabel Cabral


23 de abril de 2012

Há Coisas Bonitas na Vida .... Letícia Thompson


Há coisas bonitas na vida.

Bonitas são as coisas vindas do interior, as palavras simples, sinceras e significativas.

Bonito é o sorriso que vem de dentro, o brilho dos olhos...

Bonito é o dia de sol depois da noite chuvosa ou as noites enluaradas de verão em que todos saem de casa.

Bonito é procurar estrelas no céu e dar de presente ao amigo, amiga, namorado...

Bonito é achar a poesia do vento, das flores e das crianças.

Bonito é chorar quando se sentir vontade e deixar que as lágrimas rolem sem vergonha ou medo de crítica.

Bonito é gostar da vida e viver do sonho.

Bonito é ser realista sem ser cruel, é acreditar na beleza de todas as coisas.

Bonito é a gente continuar sendo gente em quaisquer situacões.

Bonito é você ser você.


                       
Letícia Thompson



20 de abril de 2012

Amor Incondicional de Silvana Duboc




Tantos tipos de amor tenho visto por aí.

 Amores fracos, desnutridos de coragem; amores fortes, que atravessam
muitas barreiras, mas que em certo momento tropeçam numa

pequena pedra, caem e não conseguem mais se levantar.


De tantos e todos os tipos de amor que conheci, houve um
que jamais esquecerei: o amor incondicional, aquele que
existe apesar de, e que atravessa qualquer tipo de
tempestade, tropeça em muitos obstáculos e mesmo assim
não deixa de existir; não altera a sua rota, não diminui
a sua dimensão, não perde o seu peso, não permite que o
seu brilho seja ofuscado.

Só ama incondicionalmente quem é possuidor de uma alma
grande, e esse tipo de alma normalmente é acompanhada de
um espírito de luz.

Amar assim é não viver subjugado a "mas..." e
"poréns...", é não ter critérios para doar esse amor, é
não exigir troca e abrir mão de reciprocidade.

Quando se ama incondicionalmente tem um espaço dentro do
cérebro que fica reservado em definitivo para que nas
vinte e quatro horas do dia o pensamento não se afaste
do objeto desse amor. Já no coração, não existe um
espaço designado para guardá-lo, porque ele é todo esse
amor, vivenciado e sentido enquanto ele bater.

Amor incondicional não tem orgulho de nenhuma espécie.
Não se envaidece de sua capacidade, nem de sua força,
não tem necessidade de alardear a sua existência, nem
demonstrar o seu imenso universo, ele é simplesmente um
amor humilde, puro e despretensioso e justo por isso se
torna grandioso.

Corações que vivem esse tipo de amor, são generosos,
eternos, mesmo depois que param de bater, são sublimes e
por isso conseguem guardar dentro deles tanta ternura.

Amor incondicional não faz de conta que é, não se obriga
a desistir de si mesmo, não precisa viver de fantasias,
nem andar travestido de ilusões para prosseguir o seu
caminho. Esse amor do qual estou falando é por si só
inteiro, não agoniza e muitas vezes inexiste aos olhos
dos outros, mas quem ama incondicionalmente, sabe a
receita exata de como vivê-lo sem dores.

Felizes daqueles que despertam essa maneira de amar em
alguém, esses sim, têm motivos de sobra para se orgulhar
por terem conseguido atingir de forma tão especial um
coração carregado do mais puro dos sentimentos.

Amor se torna incondicional quando ele já se acomodou
dentro do peito, já se conformou com a estrada que terá
que percorrer e já não há mais possibilidade de derrapar
em nenhuma curva desse caminho, nem ser atropelado por
qualquer dúvida. É quando também, o que ficou para trás
já não importa e o que está por vir não vai mudar nada.

O amor incondicional é aquele que doa o melhor de si,
mesmo que esteja recebendo o pior de alguém, porque ele
não depende de ser querido, nem de ser aceito e não
esmorece se for ignorado.

Esse amor é daqueles amores que no passado já sangraram
muito, latejaram, abriram enormes feridas, mas que ainda
assim não deixaram marcas nem cicatrizes, porque a
partir daí, resplandeceram e passaram a viver em eterno
estado de graça até o instante que se eternizaram.

Há quem diga que o amor incondicional é masoquista, isso
não é verdade, esse tipo de amor é o inútil. O amor
inútil sim, alimenta-se de sofrimento, resiste a tudo
com esperanças de alcançar o seu objetivo, que já ficou
bem claro, não será conquistado. O amor inútil é aquele
que já foi embora mas saiu tão mansamente que nem deixou
que percebessem sua partida, ao contrário do
incondicional, que se instalou dentro de alguém e não
pretende procurar a saída.

O amor incondicional não corre atrás de sonhos
impossíveis, não precisa disso. Ele já é maduro, há
muito deixou de ser adolescente, e envelhecer também não
está nos seus planos, porque o amor que se torna velho,
é um amor cansado, desgastado, exaurido. Já o
incondicional é e sempre será, ativo, independente,
coerente, auto-suficiente, porque se reserva o direito
de ser solitário e ainda assim completo e realizado,
porque reside nele a certeza de sua inocência, pureza e
sinceridade.

Existe um encontro marcado entre o amor incondicional, a
glória e o esplendor em algum canto do mundo, em algum
instante da vida ou em algum momento após a morte, mas
ele não conta os dias para isso, nem sequer consulta o
relógio, embora para ele, o momento desse encontro seja
a grande magia da sua existência.

Amor incondicional é de uma elegância imensurável, de
uma postura invejável e de uma personalidade única.

Felizes daqueles que são merecedores de serem amados
incondicionalmente e mais felizes ainda, aqueles que se
permitem amar assim, porque são eles os grandes heróis
da vida.

Infelizes daqueles que não conseguem perceber quando
despertam esse tipo de amor, que não têm a sensibilidade
de  o sentír ao seu redor e valorizá-lo independente do
que podem oferecer a ele.

Amar incondicionalmente é uma arte.
Ser amado assim, um presente divino.


SILVANA DUBOC

15 de abril de 2012

Bons Amigos...Machado de Assis



Abençoados os que possuem amigos, os que os têm sem pedir.

Porque amigo não se pede, não se compra, nem se vende.
Amigo a gente sente!



Benditos os que sofrem por amigos, os que falam com o olhar.
Porque amigo não se cala, não questiona, nem se rende.
Amigo a gente entende!



Benditos os que guardam amigos, os que entregam o ombro pra chorar.
Porque amigo sofre e chora.
Amigo não tem hora pra consolar!



Benditos sejam os amigos que acreditam na tua verdade ou te apontam a realidade.
Porque amigo é a direção.
Amigo é a base quando falta o chão!



Benditos sejam todos os amigos de raízes, verdadeiros.
Porque amigos são herdeiros da real sagacidade.
Ter amigos é a melhor cumplicidade!



Há pessoas que choram por saber que as rosas têm espinho,
Há outras que sorriem por saber que os espinhos têm rosas!


MACHADO DE ASSIS

14 de abril de 2012

O Tempo..... W.




O tempo é muito lento, para os que esperam.
Muito rápido, para os que tem medo.
Muito longo, para os que lamentam.
Muito curto, para os que festejam.
Mas para os que amam, o tempo é eterno. 
 W.  Shakespeare

9 de abril de 2012

Ah! Se Eu Pudesse


















Ah ! Se eu pudesse

Todas as flores de todos os jardins eu colheria para você
E todas as estrelas do céu estariam em suas mãos
Ah! Se eu pudesse
Toda a alegria possível e imaginária eu daria para você
Para você se sentir realmente feliz
Para ver você com o coração em paz
A cantar a esperança, a viver com os olhos brilhando de

felicidade


Ah! Se eu pudesse
Mais uma manhã de sol em sua vida eu iria pôr
Mais um momento de luz e mais um momento de amor.


Ah! Se eu pudesse
Ser a sua vida, ser o sonho dos seus passos
Ser a luz que ilumina seus passos
Ser quem você ama.



Ah! Se eu pudesse
Eu iria ao infinito e do infinito gritar
Gritar que o belo é ter você
É saber que você está junto de mim
Gritar que o importante é sentir você
É olhar em seus olhos
É sentir o amor correr nas veias
Descansar no coração.



Ah! Se eu pudesse

Se eu pudesse ser poeta neste momento
Um verso iria para você escrever
Iria pôr no papel o que no pensamento e no 

coração existe por você.


Ah! Se eu pudesse
Andar por onde você anda
Ser aquele que você quer
Ah! Se eu pudesse

Beijaria seus lábios, doce de mel,

seus lábios de mulher


Ah! Se eu pudesse
Se eu pudesse de mãos dadas caminhar com você
Pela rua, pelo parque, pelo campo, pela estrada
Eu seria mais esperança, seria um pouco de mim
Para ser um pouco mais de amor,

para ser um pouco de você
para viver dentro de você


Ah! Se eu pudesse
Até minha vida eu daria para você


Ah! Se eu pudesse
Não queria nunca, nunca lhe perder.
Ah! Se Eu Pudesse...


Desconheço o Autor

2 de abril de 2012

Adeus poema de EUGÉNIO DE ANDRADE





















Como se houvesse uma tempestade
escurecendo os teus cabelos,
ou, se preferes, minha boca nos teus olhos
carregada de flor e dos teus dedos;

como se houvesse uma criança cega
aos tropeções dentro de ti,
eu falei em neve - e tu calavas
a voz onde contigo me perdi.
Como se a noite se viesse e te levasse,
eu era só fome o que sentia;
Digo-te adeus, como se não voltasse
ao país onde teu corpo principia.

Como se houvesse nuvens sobre nuvens
e sobre as nuvens mar perfeito,
ou, se preferes, a tua boca clara
singrando largamente no meu peito.

EUGÉNIO DE ANDRADE