6 de maio de 2012

Poema " MÃE " do Poeta José Maria Lopes de Araújo








M Ã E


Minha mãe, minha mãe, quanta saudade
Me ronda, nesta hora de tristeza,
Na gelidez da minha soledade,
Tão cheia de amargura e de incerteza!


Há tantos anos já que tu partiste …
Hoje, é um velho o teu bebé de outrora.
Já nada é do que deixaste e viste
Pois sempre que te lembra, sofre e chora.


Hoje, que o tempo marca aquele dia
Que só lembrá-lo ainda me angustia
Me fere e me atormenta de cansaço,

Ai, minha mãe talvez em breve, esteja
Junto de ti, e queira Deus que seja
Para adormecer de novo no teu regaço ! …



José Maria Lopes de Araújo
do livro " Horas Contadas "

4 de maio de 2012

Felicidade...poema de Fernando Pessoa


Não se acostume com o que não o faz feliz, revolte-se quando julgar necessário. 
Alague seu coração de esperanças, mas não deixe que ele se afogue nelas. 
Se achar que precisa voltar, volte! 
Se perceber que precisa seguir, siga! 
Se estiver tudo errado, comece novamente. 
Se estiver tudo certo, continue.
Se sentir saudades, mate-a. 
Se perder um amor, não se perca! 
Se o achar, segure-o!

Fernando Pessoa