26 de abril de 2005

Florbela Espanca

Li um dia, não sei onde,
Que em todos os namorados
Uns amam muito, e os outros
Contentam-se em ser amados.

Fico a cismar pensativa
Neste mistério encantado...
Digo pra mim: de nós dois
Quem ama e quem é amado?...

17 de abril de 2005

VITOR CINTRA " Egoísmo "

EGOÍSMO

Sou pedra implantada à beira mar,
Sofrendo as investidas da maré,
Sentindo, lentamente, esboroar
A terra firme que me tem de pé.

Viver, a vida toda, em solidão,
Ter gente à volta mas vivendo só,
É ter, do mundo, toda uma visão
De tronco morto, que caiu no pó.

Gritar ao mundo, raiva, desespero,
Calando mortes, lágrimas e dor,
É grito tolo, grito de egoísmo;

É como ter, apenas, o que quero
Sem ter terra firma de amor
Que evite a queda certa no abismo.

Vítor Cintra “ Ao Acaso

8 de abril de 2005

AMÉRICO *** Quero ***

QUERO...

Ser teu ombro, teu colo, teu amigo
Sentir-te, nos momentos alegres e tristes
Ser tua luz, na mais escura das noites
Ser teu sol no mais brilhante dos dias.

Quero...

Ser tua força, teu espaço, teu horizonte
Quando mais nada existir na tua frente
Quando todos os outros se esgotarem
Um momento antes do desespero...

Quero...

Olhar contigo o dia nascer e o sol pôr-se
Sentir o ruído das ondas, o sopro do vento
Sentir o calor do teu corpo...no brilho
Do teu olhar, na emoção da tua voz...

Quero...

Deixar minhas mãos mexer na tua pele
Despertar os teus sentidos, acordar-te...
Fazer da menina... mulher romântica...louca
Num gesto atrevido, numa palavra sensual

Quero...

Correr contigo ao encontro da noite....
Libertar-te de todos os pesos...
Despir a tua roupa, acariciar teus cabelos
Teus seios, tuas costas… tuas coxas...

Quero...

Entrar na cama contigo, deitar-te, beijar-te
Estender-te na minha frente...abraçar-te
Com jeito...minha boca no teu ouvido…
Mãos nos teus seios, numa carícia suave...

Quero...

Ouvir o vento, a chuva, os ruídos da noite...
Libertar nossas almas e deixá-las correr
Libertar nossas mentes e deixa-las voar
Libertar nossos sonhos de deixa-los viver.

Quero...

Voltar-te para mim, beijar-te na boca
Sentir teus seios em meu peito...
Teu corpo mexendo ajustando-se ao meu
Teus braços puxando, apertando, tocando

Quero...

Quando a madrugada chegar....
Olhar em teus lábios um sorriso
Em teus olhos um brilho cintilante
Na tua voz um obrigado á vida

Quero...


Américo

4 de abril de 2005

VITOR CINTRA * Sensualidade "

SENSUALIDADE

Caiu a noite! E o marulhar das ondas,
Embala em sonhos um amor distante,
Que tu desejas, com ardor e ânsia;
Mas nesse arquejo de paixão, que rondas,
Nem o negrume da saudade errante
Encurta o tempo, longo, da distância.

Sentindo o sonho vir, tornado alento,
Enfeitiçar-te, num desejo atroz,
Agigantado nesse marulhar,
Transpões a noite, pondo o pensamento
Na fantasia, da avidez feroz,
Dum outro amante, que te saiba amar.


Vítor Cintra “ Momentos “