26 de agosto de 2004

AMÉRICO * Hortênsia Azul...Hortênsia Lilás *


* HORTÊNSIA AZUL, HORTÊNSIA LILÁS *


Alo Mulher Açoriana....

Do nevoeiro subindo lentamente as escostas verdes
Das colinas da tua Ilha encantada
Nas manhãs de sol de Outono ou Verão,Primavera ou Inverno

Alo Mulher Açoriana
...

Das lagoas quietas e dos vulcões adormecidos
Da Caloura silenciosa...quente...vibrante...molhada
Das Furnas a cheirar a enxofre....
No centro de montanhas vestidas de verde...
Dos enormes pedregulhos emergindo do mar dos Mosteiros.
Da Lagoa do Fogo bela e silenciosa...

Alo Mulher Açoriana....
Do mar cinzento com os barcos de velas brancas,
Sulcando o horizonte distante
Das noites de chuva miudinha e de vento soprando forte
Das hortênsias que se agitam na beira da estrada molhada
Do silêncio que se deita sobre a tua ilha adormecida
Escondendo a alma apaixonate dum povo humilde e orgulhoso.

Alo Mulher Açoriana...

Do vapor que se desprende da terra...
Do vento que sopra forte...das gentes que correm apressadas
Das crianças brincando nas ruas...dos velhos sentados nos muros...
Da vida que não pára...dos sonhos que não morrem,

Alo Mulher Açoriana...

Duma cidade que encanta...numa baia de águas calmas
De monumentos revestidos de história...
Das muralhas negras,silenciosas...inquietas...vigilantes
Das palmeiras que se agitam no sol de Verão
Ou no vento forte...do norte
Nas tempestades de Inverno,nas noites mornas e calmas
Das luzes que se reflectem nas águas suaves da baia...

Alo Mulher Açoriana....

Repara só...nesta música...nesta imagem...neste som
Que vibra e se espalha...que acaricia e agita...
Que é o espelho do sangue que te corre nas veias
Do sonho que vagueia na tua mente...da paixão que te aquece a alma
São as tuas montanhas...é o teu mar....são as tuas ondas
É a tua caloura...é um tronco branco sempre balouçando
Nas suas águas...
Vai lá ver...ainda lá anda decerto...
Talvez pequeno...talves sózinho...abandonado pelas gaivotas
Suas companheiras das manhãs de chuva...das tardes de sol...
Olha só, Mulher Açoriana o que sai da alma
Quando a gente gosta de alguma coisa....
Eu gosto da tua ilha e das tuas hortênsias
E não custa nada...mesmo nada!

AMÉRICO...

15 Abril 2004

2 comentários:

  1. Gostei imenso porque sou Açoriana, de Azoriana Blog e sinto-me encantada com este maravilhoso poema. Obrigado e um abraço

    ResponderEliminar
  2. Mulher*Mariense, eu bem disse no principio do meu blog, que ía chegar ao topo, foi um caminho que criticaste, mas que eu tinha de percorrer, se queria mostrar quem era eu de verdade!! Um beijo. PS: virei ler com calma os teus post's. Obrigado p'la visita ao "TOU no sapo" pois já mudei para aqui: tounotop.blogspot.com

    ResponderEliminar