4 de janeiro de 2005

VITOR CINTRA poema " Dói "

DÓI

Quero-te tanto que dói !
Mas, nesta dor miudinha,
Profunda, doce, daninha,
Há um encanto d’esperança.
Nela tu és, por lembrança
Dos tempos da mocidade,
O mito da f’licidade,
Que o meu desejo destrói.

Por cada mulher que vejo,
Sinto ternura e desejo.
E todas as que conheço
Acho bonitas, confesso.
Mas sinto, porque te quero,
A dor do meu desespero.

Aquelas, com quem cruzei,
Só possui, nunca usei.
Não fiz batota com elas,
Nem fiz promessas balelas.
Dei, nessas posses, carinho.
Não quis vivê-las sózinho.

Mas esta dor, que corrói
A mente, como a vontade,
Resulta da intensidade
Do teu fascínio. Enquanto
Minha alma cede ao encanto,
Meu corpo grita bem alto,
Sentidos em sobressalto:
Quero-te tanto que dói.


Vitor Cintra - “ Contrastes “

21 comentários:

  1. Este é o tipo de amor intenso que dói , até mesmo quando estamos nos braços de quem amamos pois o coração sabe que poderá ser por breves momentos. A dor , o desespero a que o amor nos sujeita faz nos dar gritos como o poema que escreveste! Nota-se uma sinceridade , quase como se fosse uma confissão....bastava um olhar dela para parar de doer , um toque dela que te limpasse as lágrimas não era? Como eu te compreendo! Quem já amou ou ama compreende! Mónica (mco.blogs.sapo.pt)

    ResponderEliminar
  2. Dolorosamente belo! Muitos beijos. tem uma noite feliz!

    ResponderEliminar
  3. Doído com sabor de canção. Um beijo daqui de longe.

    ResponderEliminar
  4. Não conhecia mas fiquei encantada.

    ResponderEliminar
  5. Lindo poema e linda imagem!
    Adorei!
    Beijos!

    ResponderEliminar
  6. O amor é mesmo assim, contrastes;) Adorei. aflores/ailaife blog

    ResponderEliminar
  7. Alma de poeta e coração apaixonado.Lindissimo.Arte por um Canudo.

    ResponderEliminar
  8. ...muito bonito este poema, embora seja triste...mas prendeu-me até ao fim...

    Tem um bom fim de semana.~
    Um beijinho*.

    ResponderEliminar
  9. Lindo o poema. É aquele amor intenso, que nos aperta, que nos dói... que nos faz querer o outro tanto, tanto... que nos magoa...
    sei como é...

    Eliwitch
    www.livrodemagoas.blogdrive.com

    ResponderEliminar
  10. Olá!Voltei das minhas férias, e cá estou a visitar os amigos no mundo blogueiro!
    Gostei muito deste poema, é lindo!
    Bem...visite-me no meu outro blog... http://nossorefugio.blogs.sapo.pt
    Bejinhos grandes!

    ResponderEliminar
  11. Continua-se em Poeticamnete romântico por aqui.. :) BOM fim de semana! :)**

    ResponderEliminar
  12. Este poema podia ser um fado. Tem um pouco de dessespero, amor intenso, quase predestinação. Um fado. Beijinhos

    ResponderEliminar
  13. Sim, dói, quero-te tanto que dói.
    Jinhos

    ResponderEliminar
  14. Obrigado pela escolha deste poema e da imagem com que o ilustras.
    Um beijão.
    João Vítor

    ResponderEliminar
  15. um poema de dôr que faz arrepiar quem já sentiu identico...boa escolha !

    ResponderEliminar
  16. Desculpa a ignorância, mas quem é o Vitor Cintra? Nunca ouvi falar! :-(

    ResponderEliminar
  17. Patinhas: é muito lindo o poema
    fica bem

    ResponderEliminar
  18. O amor dói... por isso é Amor...
    Lindo o teu poema.Abraço :-)))
    http://eternamentemenina.blogs.sapo.pt/

    ResponderEliminar
  19. A tua poesia é sensibilidade, sofrimento e muita ternura.
    Bravo pela tua poesia. Continua nem que seja pelo prazer e pela sensibilidade que nos transmites. Obrigado pelo link. Merecidamente também abri uma porta secreta para o teu livro de poesia, já lá está.
    Como és poeta ficas na ciranda dos poetas que é para mim o expoente máximo do meu livro
    Um abraço
    Rogério Simões

    ResponderEliminar