5 de setembro de 2005

O TEU NOME




Sempre que digo o teu nome

Sempre que chamo por ti

Sinto sede, sinto fome

De viver só para ti .

Há doçura em minha voz

Há ternura em teu olhar ,

E quando tu não respondes

No que me escondes

Fico a pensar .



O teu nome

É todo poesia

E tem em si o amor

A tristeza e a alegria

Tem cheirinho a maresia

Simples como um malmequer

Tem da nascente a frescura

E também tem a ternura

De ser nome de mulher



Quando digo o teu nome

Sempre que chamo por ti

Eu quero juntá-lo ao meu

E viver só para ti

Sempre, sempre que te chamo

Teu nome vira canção

Se respondes num olhar

Fica a cantar meu coração!!!



Eugenio

Sem comentários:

Enviar um comentário