3 de janeiro de 2006

Florbela Espanca " Poetas "

Ai as almas dos poetas
Não as entende ninguém;
São almas de violetas
Que são poetas também.

Andam perdidas na vida,
Como as estrelas no ar;
Sentem o vento gemer
Ouvem as rosas chorar!

Só quem embala no peito
Dores amargas e secretas
É que em noites de luar
Pode entender os poetas

E eu que arrasto amarguras
Que nunca arrastou ninguém
Tenho alma pra sentir
A dos poetas também!



Florbela Espanca

- in Trocando Olhares

12 comentários:

  1. Os poetas são pessoas especiais... sentem o mundo de uma forma muito intensa... por isso adoro poesia e ando sempre a "roubar-lhes" as palavras para transmitir as minhas
    emoções!

    Bjos

    ResponderEliminar
  2. Se fossem só os poetas a verem as suas almas perdidas na vida... Felizmente que isso só me acontece em periodos menos bons da minha vida, o que não é o caso no momento... Belíssimo poema.

    ResponderEliminar
  3. Ei! psiu! Estou de volta..Ainda há tempo de brindar? Pois se houver, trago aqui meu cálice para festejar o novo ano. Que Deus esteja presente em sua vida e que este ano seja cheio de sucesso.
    Obrigada pelo carinho deixado no meu blog.

    Super beijo

    ResponderEliminar
  4. E não é que a nossa diva está certa?

    Ouvem-se gemidos pungentes
    Nada se mexe na noite fria
    As estrelas, mesmo as cadentes
    Param, antes do raiar do dia
    Comovem-se com este dorido som
    Perscrutam na noite a aflição
    Reparam na ave, solitária
    à beira mar estendida
    Lança gritos lancinantes
    Agarrada ainda à vida...

    Quem ouve gritos onde nunca existiram?

    Bjinho

    ResponderEliminar
  5. Que vivam os poetas e todos aqueles que tem capacidade para sentir.

    ResponderEliminar
  6. Florbela Espanca sempre bela, um abraço...

    osaldanossapele

    ResponderEliminar
  7. Ler Florbela é sempre mergulhar no mais profundo sentir.
    Adorei!

    Beijos

    ResponderEliminar
  8. Florbela Espanca, mulher que viveu numa época que não era a sua. infelizmente. não foi compreendida.
    beijos.

    moriana.

    ResponderEliminar
  9. ALMA, Florbela Espanca viveu a frente de seu tempo, por isso não foi lhe dado o devido reconhecimento, tanto que hoje conseguimos acompenhar um pouco de seu pensamento.
    Bjs

    ResponderEliminar
  10. Bonito o ser poeta,
    ele segue só, atravessa o mundo, chora, lamenta, pranteia ausências e está só. Mas, poeta que é poeta amarra-se às palavras, morre pelas e com elas, emociona. Beijão e um feliz ano, com boas perspectivas e sonhos realizados.
    Anne

    ResponderEliminar
  11. Amiga, estive ausente por uns dias, mas nada melhor do que aproveitar uma folguinha em companhia daqueles a quem mais amamos, nao é assim? Assim que já estou de volta, com vontade de seguir adiante neste novo ano que apenas começou... Espero seguir contando com tua alegria, tua companhia, tua amizade...
    Muitos beijos, flores e sorrisos para ti, minha querida!

    ResponderEliminar
  12. Gosto muito de Florbela Espanca. Parabéns pela escolha do poema e da imagem, que tb é linda. Beijinhos e bom fim-de-semana. *****

    ResponderEliminar