5 de outubro de 2006

Embala o teu Sonho....de ...António Veleiro

EMBALA O TEU SONHO...

Embala teu sonho nas mãos
E oferece-o no cálice de néctar
Tragado cada manhã
Cristalino globo do universo
Trespassado de todas as cores.


Vês o sol que te aquece se ele brilha
Lavas-te na água fecunda da chuva
Vês teu rosto nas nuvens se escurece
E esfregas a pele macia da manhã.


Sentes o vento que te corta o rosto
Perfumas o aroma da tua sensação
Vestes o frio do nevoeiro cerrado
E estás pronta para a vida que te habita.
Sais a correr cada segundo
Porque um segundo depois já é outro
Alimentando a fome de energia vital.


Cumprimentas este que conheces
Beijas aquela que te iguala
Na humanidade dentro de todos.


Chegas farta
Cansada
Aborrecida
Tramada
Encolhida
Furiosa
Endiabrada
Abatida
Calada
Desiludida


Não há tempo para sonhar!


Mas de novo
Embala teu sonho nas mãos...


... Até que nas mãos frias
Teu sonho não se possa embalar.








António (Veleiro)

3 comentários:

  1. Alma de Poeta,
    ...venho deixar-te um beijinho amiga e agradecer as ultimas visitas...desculpa só agora o fazer, mas tenho andado um pouco afastada :(((

    Beijinhos..vou ver onde tenho os meus sonhos...para os embalar...

    Gostei muito do poema!

    ResponderEliminar
  2. Sonho, pensava eu tratar-se quando vi a minha amiga a regressar e visitar o meu blog :):)Nem queria acreditar, mas ainda bem, pois por aqui gosto de passar e ficar um pouco.

    ResponderEliminar
  3. Já por aqui tinha passado uma vez sem deixar rasto, mas desta feita vim com mais vagar, para ver com olhos de ver. E o que vi, gostei pela polivalência (poesia e desnhos), pela qualidade do blogue e pelo interesse cativante e até pela «estranha mistura de nostalgia». Parabéns.

    ResponderEliminar