2 de novembro de 2006

Para Avivar a Memória





PARA AVIVAR A MEMÓRIA

Não esqueças nunca
Este poeta
Pequenino
Que quis somente
Sempre
Dizer tudo
E nunca disse nada!

Não esqueças nunca
Cada texto
Cada verso
Cada palavra
Cada letra!

Não esqueças nunca
Como
Onde
Quando
Por que nasceu
Cada poema
Elogio
Confissão
Desejo
Ânsia
Oração
E grito!

Não esqueças nunca
Que na alma de um poeta
Há sempre uma musa!

Não esqueças nunca
Que nas veias de um poeta
Corre um sangue vermelho!

Não esqueças nunca
Que no coração de um poeta
Pequenino
Inútil
Há sempre um lugar
Para ti!



António (Veleiro)

1 comentário:

  1. Acredito que em todos os seres humanos há poesia, mesmo naqueles que não sabem dizer palavras bonitas. É como o ditado que diz: "De sábio e de louco, todos temos um pouco".
    Tudo de bom para ti.
    Fica bem.
    Manuel

    ResponderEliminar