28 de fevereiro de 2007

JOSÉ ANDRADE " Estrada da Vida "






E no silêncio da noite
Se perdem as passadas
Largas e pesadas
E fortes... mas inseguras.
O relógio
Em contratempo
Marca o Tempo.
Um tempo que passa
A cada passo
E que não volta nunca.
Talvez por isso se ouvem ainda
Passadas na estrada.
Nesta curta estrada
A percorrer
Sem correr
Mas a crer
Que cada passo que nela passa
Passará para a Eternidade !


José Andrade
S.Miguel - Açores


Do livro " SEMENTE "

Sem comentários:

Enviar um comentário