26 de junho de 2007

FERNANDO MONTEIRO DA CÂMARA PEREIRA poema " D.IV"






Se sou
o poeta
perdido
no nada
poderei parar
o tempo perdido
e o tempo
que vem
como se pára
o vento
como se pára
o universo-deus

Porque o poeta
é o infinito
onde a gota de água... calada
assume a dimensão
dum universo

Se sou
o poeta do nada
poderei sonharãté ao intangivel
e ver
o universo
aos pés do Nada

Se sou
o poeta que sofre
então meterei
o universo
na gota de água ...
da manhã da esperança




Março 1981


Fernando Monteiro

do Livro " Mar Branco "

1 comentário:

  1. o universo e uma gota de água na nossa cabeça têm o mesmo tamanho sendo para nossa fágil o universo caber na gota de água e vice versa
    comenta o meu blog s tivers tempo... :D o teu tá mt mt mt giro!!!!!!
    P.S- ñ t importas keu link este blog pois ñ????????????

    ResponderEliminar