1 de outubro de 2007

BEIJO poema de Manuel Altolaguirre "Espanha"




BEIJO




Que só estavas por dentro !



Quando surgi em teus lábios,

um rubro túnel de sangue

triste e escuro mergulhava

até ao fim da tua alma.


Quando penetrou meu beijo,

seu calor, sua luz davam

sobressaltos e tremores

à tua carne surpreendida.


Desde esse instante os caminhos

que levam à tua alma

mão queres que estejam desertos.


Quantas flechas, peixes, pássaros

Quantas carícias e beijos !



Tradução de : José Bento




3 comentários:

  1. Lindo poema!
    Parabéns.
    Beijinhos!
    Fernandinha

    ResponderEliminar
  2. O Beijo
    Lindo, lindo, lindo!
    Beijinhos!
    Tia Maria!!!

    ResponderEliminar
  3. Vitor passei para te ler mais uma vez e ouvir esta adorável música.
    Deixar-te muitos beijinhos,
    Fernandinha

    ResponderEliminar