4 de dezembro de 2007

CEGUEIRA DA AMOR de Meleagro (sec.II-I a.C)





Um caso singular
mas sempre verdadeiro:
se poiso em ti o olhar
-abranjo o mundo inteiro ! ...

Porém, ó fado torvo e prepotente,
porém, ó sorte perra e negredada,
se tu não vens, e passa toda a gente,
Cego de repente
- Já não vejo nada! ...



Trad:Augusto Gil

Sem comentários:

Enviar um comentário