5 de novembro de 2008

SOLIDÃO de Afonso Henriques







Saudade é solidão acompanhada,
É quando o amor ainda não foi embora,
Mas o amado já...
Saudade é amar um passado que ainda não passou,
É recusar um presente que nos machuca,
É não ver o futuro que nos convida...
Saudade é sentir que existe o que não existe mais...
Saudade é o inferno dos que perderam,
É a dor dos que ficaram para trás,
É o gosto de morte na boca dos que continuam...
Só uma pessoa no mundo deseja sentir saudade:
Aquela que nunca amou.
E esse é o maior dos sofrimentos:
Não ter por quem sentir saudades,
passar pela vida e não viver.
O maior dos sofrimentos é nunca ter sofrido.



AFONSO HENRIQUES

2 comentários:

  1. Sou do Brasil. Entrei no seu site por acaso, ao colocar na pesquisa Google a palavra solidão (pois é como me sinto agora).
    Ao ver um poema referência do Neruda não resisti de olhar. Música linda esta que você adicionou ao site, linda mesmo! Que bom que existe no mundo pessoas assim como você que fazem da vida arte e nos ajudam a viver a arte da vida! Parabéns! Meu nome é Célia. Do Brasil para você um grande abraço...

    ResponderEliminar
  2. Olá tenha um bom dia, sempre que posso aviso, deve ter ocorrido um equívoco com relação a autoria... seu espaço é muito interessante para que eu deixe “passar batido”
    (...) Saudade é a solidão acompanhada... (no caso não é de Pablo Neruda, mas sim
    a fala do personagem Poeta Afonso Henriques, na novela Fera Ferida escrita por: Aguinaldo Silva, Ricardo Linhares e Ana Maria Moretzsohn), pode conferir. Segue um abraço aqui do BR, Rosangela.

    ResponderEliminar