30 de setembro de 2008

EU NÃO SEI AO CERTO ... poema de Jaime Sabines ( México )




EU NÃO SEI AO CERTO...


Eu não sei ao certo, mas suponho
que uma mulher e um homem
um dia se amam,
vão ficar sozinhos pouco a pouco,
algo em seu coração lhes diz que estão sós,
sós sob a terra se penetram,
vão-se matando um ao outro.

Tudo se faz em silêncio.
Como a luz se faz dentro dos olhos.
O amor une corpos.
Em silêncio vão-se enchendo um ao outro.

Qualquer dia acordam sobre braços;
pensam então que sabem tudo.
Vêem-se nus e sabe, tudo.

( Eu não sei ao certo. Suponho-o )



JAIME SABINES

Sem comentários:

Enviar um comentário