7 de janeiro de 2009

" ESTE PERFUME"de Salvador Novo (México)









Este perfume intenso de tua carne
não é nada mais do que o mundo que deslocam e movem os globos azuis dos teus olhos.

E a terra e os rios azuis das veias que aprisionam os teus braços.

Há todas as laranjas redondas em teu beijo de angústia
sacrificado à beira de um horto em que a vida se suspendeu por todos os séculos da minha.

Que distante era o ar infinito que encheu nossos peitos.

Arranquei-te da terra pelas raízes ébrias de tuas mãos
e bebi-te todo, oh fruto perfeito e delicioso!

Já sempre quando o sol apalpe a minha carne
sentirei o rude contacto da tua
nascida na frescura de uma alva inesperada,
nutrida na carícia de teus rios claros e puros como o teu abraço,
volta doce no vento que nas tardes
vem das montanhas para o teu hálito,
madura no sol dos teus dezoito anos,
cálida para mim que a esperava.





Tradução de: José Bento

Sem comentários:

Enviar um comentário