8 de junho de 2009

CANÇÃO...poema de Eugenio Florit ( Cuba)

Eco de um sonho que na noite busco
torcendo o frio gris do pensamento.
É tarde já para olhar estrelas
e tenho frio.

Talvez não saiba quando irei olhar-te.
preso à alma de tua grata lembrança
que está a gritar-me lá do sonho
um nome tépido.


Um nome que há-de ser como são as rosas,
doce e fragrante prémio para os lábios;
mais sereno que minha amargura
sem esperança.

Assim verei, na orla destes mares,
para alegrar minhas altas gaivotas,
umas letras unidas ao reflexo
do seu olhar.


Trad: José Bento.


do Livro " Rosa do Mundo "

1 comentário:

  1. Não li nenhum poema em particular, mas todos em geral e achei-os maravilhosos, interessantes e sobretudo agradeço que tenha deixado o nome dos autores... de todos eles. As imagens bem escolhidas.
    PARABÉNS!
    Voltarei
    jinhos
    Isa

    ResponderEliminar