28 de julho de 2009

A BOCA poema de Umberto Saba ( Itália )




A boca
que primeiro levou
aos meus lábios a cor da aurora
ainda
em belos pensamentos desconto o aroma.

Ó pueril boca, amada boca,
que dizias o que ousavas e tão doce
eras a beijar.


Tradução de Eugénio de Andrade

2 comentários:

  1. Que lindo, beijar a pessoa amada é sempre bom.
    Abraços

    ResponderEliminar
  2. Linda poesia, sensível e delicada, falar do beijo, inspirar-se num beijo apaixonado é um enlevo p'Alma!

    Achei lindo teu blog e estou a te seguir.

    Convido-lhe a conhecer o meu e fique à vontade!

    Abraços fraternos!

    ResponderEliminar