19 de agosto de 2009

JEITO DE SER poema de Gracinda Medeiros


JEITO DE SER

Abraço o mundo

com olhos
de sentir
e de tocar
enquanto
as mãos
ficam livres
para o fazer
e para o distribuir.

Vejo a vida
com braços
de acolher
e de libertar
enquanto
os pés
seguem trilhas
de perder
e de encontrar.

E assim,
abraçando tudo que vejo,
posso sentir tudo que faço,
acolher tudo que encontro
e libertar tudo que perco


Gracinda Medeiros

1 comentário:

  1. QUERIDO AMIGO, BELÍSIMO POEMA... SIMPLESMENTE DIVINAL!!!
    ABRAÇOS DE AMIZADE,
    FERNANDINHA

    ResponderEliminar