5 de setembro de 2009

OS AMIGOS poema de Eugénio de Andrade

Os amigos amei
despido de ternura
fatigada;
uns iam, outros vinham,
a nenhum perguntava
porque partia,
porque ficava;
era pouco o que tinha,
pouco o que dava,
mas também só queria
partilhar
a sede de alegria —
por mais amarga.


EUGÉNIO DE ANDRADE
"Coração do Dia"

Sem comentários:

Enviar um comentário