16 de outubro de 2009

No Meio o Mundo....poema de ...VITORINO NEMÉSIO














Com medo de o perder nomeio o mundo
Seus quantos e qualidades, seus objectos
E assim durmo sonoro no profundo
Poço de astros anónimos e quietos


Nomeei as coisas e fiquei contente
Prendi a frase ao texto do universo
Quem escuta ao meu peito ainda lá sente
Em cada pausa e pulsação, um verso. 



VITORINO NEMÉSIO

3 comentários:

  1. Boas achei este trecho perfeito não resisti em comentar:

    Quem escuta ao meu peito ainda lá sente
    Em cada pausa e pulsação, um verso.

    perfeita escolha, parabéns!

    ResponderEliminar
  2. Como sempre uma belíssima escolha! e que linda musica.
    Abraços

    ResponderEliminar
  3. do universo
    --------
    O Universo!... Como somos 'nada' neste conjunto onde estamos inseridos.
    --------
    Tudo de bom para ti.
    Felicidades.

    ResponderEliminar