18 de março de 2010

Aqueles Que Me Têm Muito Amor....FLORBELA ESPANCA
















Aqueles que me têm muito amor
Não sabem o que sinto e o que sou...
Não sabem que passou, um dia, a Dor
À minha porta e, nesse dia, entrou.


E é desde então que eu sinto este pavor,
Este frio que anda em mim, e que gelou
O que de bom me deu Nosso Senhor!
Se eu nem sei por onde ando e onde vou!

Sinto os passos de Dor, essa cadência
Que é já tortura infinda, que é demência!
Que é já vontade doida de gritar!


E é sempre a mesma mágoa, o mesmo tédio,
A mesma angústia funda, sem remédio,
Andando atrás de mim, sem me largar!






Florbela Espanca

2 comentários:

  1. lindissimo poema de Florbela Espanca. Também eu sou sua fã.
    Bom fim de semana
    Bjs
    Maria

    ResponderEliminar
  2. Quando a ternura
    parece já do seu ofício fatigada,
    e o sono, a mais incerta barca,
    inda demora,
    quando azuis irrompem
    os teus olhos
    e procuram
    nos meus navegação segura,
    é que eu te falo das palavras
    desamparadas e desertas,
    pelo silêncio fascinadas.

    Eugénio de Andrade

    Um lindo domingo e uma semana de paz e sucesso em tudo que fizer.
    Um abraço

    Sônia

    ResponderEliminar