16 de junho de 2010

Lágrimas Ocultas ...Florbela Espanca


















Se me ponho a cismar em outras eras
Em que ri e cantei, em que era q'rida,
Parece-me que foi noutras esferas,
Parece-me que foi numa outra vida...


E a minha triste boca dolorida
Que dantes tinha o rir das Primaveras,
Esbate as linhas graves e severas
E cai num abandono de esquecida!


E fico, pensativa, olhando o vago...
Toma a brandura plácida dum lago
O meu rosto de monja de marfim...


E as lágrimas que choro, branca e calma,
Ninguém as vê brotar dentro da alma!
Ninguém as vê cair dentro de mim!

Florbela Espanca

2 comentários:

  1. Lindo ,adorei teu blog virei mais vezes se me permitires parabéns
    Bj

    ResponderEliminar
  2. Olá Isabel
    Estou lendo seu blog hj pela primeira vez e encantada..
    Tens muito bom gosto, tudo aqui é calmo e sereno rsrs
    Me fez sentir muito bem.
    Lindo! Parabéns de verdade.
    E que belas escolhas de poesias!

    Eu tenho um blog de poesias, costumo chamar de "refúgio de palavras" ^^
    Dê-me a honra de sua visita.
    E algumas preciosidades que encontrei aqui,com certeza, se "refugiarão" no meu blog rsrs

    Abraços Isabel, fique com Deus e muita luz prá vc querida.
    Seu blog é maravilhoso. Fico entusiasmada quando encontro blogs assim onde a se sente que a poesia é valorizada.
    Eu a seguirei para não perdê-la de vista. ^^

    ResponderEliminar