15 de julho de 2010

Preguiça.... poema de Manuela Bulcão


















Olho para o céu nocturno
A escuridão lembra a tua pele
Chocolate de leite


Vislumbra a camada de nuvens
Os fios de cabelo grisalho
Rasgam o castanho da minha íris


Saboreio o sal do mar
Emersa na escuridão do teu olhar
Coisa estranha e rara


E,
Rendo-me à preguiça da imaginação
Presa na lentidão matinal de esperar pela tua chamada
Continuo assim enrolada,
Nos lençóis…




Manuela Bulcão

2 comentários:

  1. O pano como oceano

    O que vem de longe,
    Trouxe-me em outrora,
    Uma paz de um monge,
    Que recaí sobre mim agora.

    É um prazer imaginar,
    As ondas levemente a bater,
    As gaivotas a pescar,
    E eu aqui parado a ver...

    Nesta ilha de saudade,
    Onde reina a euforia,
    Uma ilha de amizade,
    Esta terra de folia...

    O Sol que brilha em nosso oceano,
    Nos deixa pensando,
    Temos ao fundo o mar como pano,
    E à frente a natureza nos amando!

    Rodrigo Silva

    ResponderEliminar
  2. Amei esse espaço, você é realmente uma alma poética!
    Visita meu blog>
    http://magnavanuzaaraujo.blogspot.com

    ResponderEliminar