4 de dezembro de 2011

Embora os Meus Olhos Sejam...António Aleixo





Embora os meus olhos sejam
os mais pequenos do mundo
o que importa é que eles vejam
o que os homens são no fundo

Que importa perder a vida
na luta contra a traição
se a razão mesmo vencida
não deixa de ser razão

Vós que lá do vosso império
prometeis um mundo novo
calai-vos que pode o povo
querer um mundo novo a sério

Eu não tenho vistas largas
nem grande sabedoria
mas dão-me as horas amargas
lições de filosofia.
António Aleixo

4 comentários:

  1. Olá amiga, lindos os versos de António Aleixo um poeta que eu gosto muito. Tem outras quadras também à medida da situação. Pelo que li não passava nada ao lado do poeta, sem que ele desse a resposta em verso. Adorei essa linda homenagem. Deixo 3 quadras que acho fantásticas. Beijos com carinho

    Eu não sei porque razão
    Certos homens a meu ver
    Quanto mais pequenos são
    Maiores querem parecer.

    Veste bem já reparaste
    Mas ele próprio ignora
    Que por dentro é um contraste
    Do que apresenta por fora.

    Uma mosca sem valor
    Pousa com a mesma alegria
    Na careca de um doutor
    Como em qualquer porcaria.

    ResponderEliminar
  2. Não conhecia esse poeta, maravilhoso! Obrigada, parabéns pela postagem!

    ResponderEliminar
  3. Adoro os poemas de António Aleixo. Estão cheios de sabedoria.
    Beijo dos Açores.

    ResponderEliminar
  4. Great goods from you, man. I've understand your stuff previous to and you are just extremely excellent. I really like what you have acquired here, certainly like what you're saying and the way in which you say it.
    You make it entertaining and you still care for to keep it wise.
    I can not wait to read far more from you. This is really a tremendous site.


    my weblog :: aura

    ResponderEliminar